Compreensão pública da ciência/Educação

Jornalismo científico e divulgação científica

Você sabe a diferença entre fazer divulgação científica e jornalismo científico? Uma primeira análise pode sugerir igualdade entre as atividades, mas há diferenças. O jornalismo científico, de modo geral, está interessado na disseminação da informação como demonstra o estudo publicado na Ciência Hoje. Você o vê em ação quando abre as páginas da internet, compra um jornal ou folheia uma revista que falam a respeito das descobertas mais recentes no campo da medicina, física ou biologia, por exemplo.

O jornalismo científico é sem dúvidas uma atividade importantíssima e ao que parece tem tido algum reconhecimento. Em 2012 ocorreu a segunda edição do Simpósio Nacional de Jornalismo Científico no Rio de Janeiro. Desde 1999 a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado São Paulo (FAPESP) desenvolveu o Programa José Reis de Incentivo ao Jornalismo Científico, que reconhece:

O fortalecimento do sistema de ciência e tecnologia de um país requer a divulgação adequada e sistemática, por todos os meios de comunicação, dos resultados das atividades de pesquisa nele desenvolvidas.

Estamos vivenciando uma era de acesso quase irrestrito à internet. Isso de modo algum é ruim, contudo gera grande volume de informação e dificulta a aplicação de filtros que direcionem o público para informações confiáveis. Embora a revista Ciência Hoje aponte que os jornalistas da América Latina tem entusiasmo de sobra para a profissão, a FAPESP ainda vê a falta de motivação e formação como problemas sérios no Brasil.

Cerca de 80% deles (jornalistas latino-americanos) não acham que o jornalismo científico esteja em crise, 91% recomendam a profissão e 98% se veem trabalhando na área nos próximos cinco anos (Ciência Hoje).

De modo geral, a sociedade brasileira não demonstra um interesse significativo pelo curso e pelos produtos da ciência. Particularmente notável é o nível de desconhecimento sobre as atividades de pesquisa desenvolvidas no Brasil. Isso se deve, em grande parte, à carência de jornalistas com motivação específica e formação adequada no campo do jornalismo científico (FAPESP).

Dito isto, está claro que o jornalismo científico informa a população a cerca dos desenvolvimentos da ciência, seja de maneira apropriada ou não. Podemos dizer então que o jornalismo científico faz divulgação científica? a resposta é, sim. Mas devemos atentar para um algo mais que permeia o espírito da divulgação científica. O que é este algo mais que diferencia a “divulgação científica” do “jornalismo científico”?

Entre os mais populares divulgadores da ciência figuram, sem dúvida, o astrônomo Carl Sagan e o naturalista David Attenborough. Sagan escreveu diversos livros fantásticos e teve participação ativa nas mídias para divulgar a ciência, não um trabalho em particular. Especialmente, quero destacar a série de TV Cosmos: A personal voyager (1980) narrada e co-escrita por Sagan. Na série, Sagan não fala das descobertas mais recentes se não como alguma curiosidade que suporte alguma ideia mais central. Attenborough escreveu e apresentou a série The Life pela BBC. A ideia principal deste tipo de série é mostrar quais as origens do universo e da vida, como compreendemos a natureza e porque as coisas são como são e não de outra forma.

Sagan e Attenborough pareciam mais interessados em fazer com que o público assimilasse a cultura científica. Nessa concepção, fazer divulgação científica está além de informar resultados. Divulgar ciência passa a ser um modo de familiarizar o público com o procedimento científico, de modo a colocar um pouquinho do que é ser cientista na imaginação de cada pessoa. Há inúmeros cientistas empenhados na tarefa da divulgação científica pelo mundo. Richard Dawkins, Lawrence Krauss, Neil deGrasse Tyson, Brian Greene, Stephen Hawking, Michio Kaku e muitos outros.

No Brasil o jornalismo científico é exercido, seja ele de qualidade ou não. Quanto à divulgação científica, o físico Marcelo Gleiser é bastante empenhado na tarefa. Contudo, nossos cientistas ainda negligenciam a importância da atividade.

Referências sugeridas

Sofia Moutinho. Perfil em construção. Ciência Hoje On-line, Notícias 06/02/2013.
FAPESP. Jornalismo científico. Mídia Ciência.

Licença Creative Commons
Este texto de Alison Chaves é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s